O que é um seguro de acidentes pessoais

O que é e como funciona um seguro de acidentes pessoais. Você ainda não sabe o que é um seguro de acidentes pessoais e o que ele abrange? Hoje vamos te explicar sobre o seguro de acidentes pessoais.

O que é um Seguro de Acidentes Pessoais

A cobertura cobre morte e invalidez permanente (total ou parcial) e outros riscos causados – unicamente – por acidente. Se as lesões do acidente exigirem, esse tipo de seguro pode garantir, ainda, tratamento médico.

Ou seja, para caracterizar um sinistro coberto é necessário que haja um acidente e que esse acidente provoque danos. No caso de um tombo no qual a pessoa não sofre dano algum, apesar de ficar dolorida não haverá indenização pois não se enquadra nas coberturas habitualmente previstas nas apólices: morte acidental, invalidez total permanente e invalidez parcial permanente.

O que é Sinistro?

No mercado de seguro, sinistro refere-se a qualquer evento em que o bem segurado sofre um acidente ou prejuízo material. Representa a materialização do risco, causadora de perdas financeira para a seguradora.

O processo de avaliação do sinistro inclui: apuração de danos, onde se procura levantar causa, natureza e extensão das avarias, podendo ser feito mediante a vistoria, registros policiais e outros; regularização, onde se analisa se o evento está coberto ou não e definir quem será o beneficiário e qual o valor da indenização.

Coberturas oferecidas pelo Seguro de Acidentes Pessoais

Como já dito, a principal é por morte acidental do segurado. Porém, você pode solicitar coberturas extras, como: 

  • Invalidez permanente total ou parcial; 
  • Despesas médicashospitalares e odontológicas decorrentes do sinistro; 
  • Diárias por internação em hospital; 
  • Diárias por incapacidade temporária (perfeito para quem é profissional liberal, autônomo ou possui uma atividade informal); 
  • Auxílio funerário.

Qual a diferença entre o seguro de acidentes pessoais e o seguro de vida?

O seguro de vida garante indenização após vários fatores, como acidentes, morte natural e outros.

Tudo depende do que está listado em apólice, e os valores podem ser pagos ao segurado ou aos seus familiares.

Já o seguro de acidentes pessoais, como já citado, é exclusivo para coberturas de sinistros oriundos apenas de acidentes.

Quais são os tipos mais comuns de apólice?

Os tipos mais comuns de apólice de um seguro pessoal são a apólice individual e a coletiva.  A individual é contratada para oferecer a cobertura a uma única pessoa, exclusivamente.

Já a coletiva visa segurar um determinado grupo de pessoas, sendo que sua a contratação é mais comum quando feita pelas empresas.

Ela também pode ser adquirida por uma associação, clube, sindicado ou outras instituições.

Neste caso, a seguradora protege vários dos indivíduos que, normalmente, trabalham com atividades com grandes chances de sinistro.

Pessoas de qualquer idade podem ter um seguro de acidentes pessoais?

Apesar de não ser uma regra, as seguradoras costumam estabelecer limites para a venda desse produto.

Ele costuma atender a pessoas de até 65 ou 70 anos, conforme a empresa. Uma novidade no mercado é o seguro sênior, indo até cerca de 80 anos.

Em relação a idade mínima, essa costuma ser de 14 anos.

Porém, as coberturas são mais restritas, sendo válidas para despesas com funeral e reembolso de gastos médicos, hospitalares e odontológicos resultantes de acidente.

Afinal de contas, usuários mais novos não exercem atividades profissionais, e os sinistros cobertos podem ser mais “básicos”.

Os valores das indenizações são atualizados?

Geralmente, um seguro para acidentes pessoais tem validade de até 12 meses.

Pensando neste aspecto, as seguradoras estabelecem regras para a atualização da indenização.

Afinal, o dinheiro “perde valor” com o passar do tempo, e é importante garantir que os valores recebidos pelo usuário serão suficientes.

Para essa atualização, a maioria das empresas usa como base o índice IGP-M, apurado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Porém, podem existir outros índices, que serão indicados na apólice.

Leia Também: